domingo, 20 de outubro de 2013

Declaração Universal Dos Direitos Humanos (ZenPencils)


Nota do autor:

Hoje, 16 de outubro, é o Blog Action Day, onde milhares de pessoas de diferentes blogueiros de todo o mundo postam sobre o mesmo tema. O tema deste ano é DIREITOS HUMANOS.
Depois de navegar na net tentando ter uma idéia do que eu poderia contribuir, eu percebi. comparando artigos que alguns governos parecem estar ignorando os direitos humanos das pessoas cada vez mais nos dias de hoje. 
Eu nem sabia o que esses "direitos humanos" mágicos eram. Onde é que esses direitos vêm? Quem decidiu quais eram? Eles são direito internacional? Foi quando me deparei com a Declaração Universal e decidi transformá-la em um algo acessível, porque eu sabia que muitas pessoas provavelmente nunca a haviam lido também.
Após o horror da Segunda Guerra Mundial, as Nações Unidas foram formadas em 1945. Os dois principais objetivos da Declaração das Nações Unidas são "preservar as gerações vindouras do flagelo da guerra" e "reafirmar a fé nos direitos humanos fundamentais." Em 1946, a Comissão das Nações Unidas sobre Direitos Humanos foi estabelecida. Presidida por Eleanor Roosevelt, a Comissão elaborou a Declaração Universal dos Direitos Humanos e foi adotada pela Assembléia Geral em 1948 "como o ideal comum a atingir por todos os povos e nações". Hoje, é o trabalho do Conselho de Direitos Humanos, um órgão importante da Organização das Nações Unidas, para promover e proteger os direitos humanos das pessoas em todo o mundo.
Esta Tira usa uma versão simplificada da Declaração. Você pode ler o texto original aqui . Para mais informações sobre a história da Declaração Eu sugiro este artigo . 
Para mais informações sobre o Blog Action Day e encontrar contribuições de outros blogueiros, visite o site oficial .

domingo, 8 de setembro de 2013

Sobre a Depressão...

Eu nunca me importei de passar as noites sozinho no meu quarto. A solidão nunca me incomodou. Nunca tive problemas com o fato de não ter muitos amigos, de não sair de casa. Nunca me incomodei com a depressão...
Não sei dizer o que está acontecendo, tem um enorme vazio dentro de mim e não consigo preenchê-lo com nada.

Onde estão meus amigos?
Eu realmente gostaria de saber...

Por que esse vazio dói tanto agora? Quero dizer... Ele sempre esteve ali, mas nunca doeu tanto.

Essa não devia ser a melhor fase da minha vida?

Eu quero desesperadamente chorar, sinto vontade de gritar tão alto que toda a cidade ouça meu desespero, que todos sintam essa maldita agonia que eu sinto agora.

Por que não consigo nem ao menos chorar?

Por que esse grito não sai?

Durante dezenove anos eu acumulei sentimentos dentro de mim, ignorando minhas tristezas, esquecendo a solidão... Deixei de sentir tanta coisa. Talvez todos esses sentimentos tenham enchido minha mente a ponto de transbordar coisas não vividas. Tantos sentimentos deixados para e depois, um depois que nunca chegou.

Como se faz pra recomeçar?

Por onde eu começo?

Por que escrevem tão pouco sobre a depressão?

Eu ainda consigo me sentir vivo?

Por que ninguém vem me salvar?

Por que essa maldita dor não para?

O mais triste de se estar deprimido é perceber que a sua felicidade quase nunca depende de você.


Johnathan Alves Damasceno de Barros

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

MARC MARON: A geração rede social (zen pencils)


Nota do autor:
Marc Maron é um comediante e o anfitrião do meu podcast favorito, WTF com Marc Maron , que é um podcast de comédia onde Maron entrevista  não só comediantes, mas os músicos, atores, chefs e artistas. Suas conversas são sempre cativantes, engraçadas, cras e honestas. Eu recomendo especialmente para aqueles que estão buscando um campo criativo, como a maioria de seus entrevistados têm perspicácia e histórias únicas sobre como eles se tornaram pessoas de sucesso. (Como você pode dizer do seu título, WTF contém linguagem explícita e é para os ouvintes maduros ... você foi avisado!)

A história de sucesso do próprio Maron vale a pena ser mencionada. Em seus 40 anos, tendo vivido uma vida de raiva, o ressentimento,  vício, relacionamentos fracassados ​​e pontes queimadas, Maron tinha acabado de se despedir de um show de rádio, quando ele começou a WTF podcast como uma última e desesperada tentativa para permanecer no jogo comédia. O podcast não só se tornou um sucesso incrível, levando a uma retomada em sua carreira de stand-up e uma série de televisão , mas também foi comprovadamente a sua salvação.

Eu não acredito que levei tanto tempo para fazer uma citação de Maron, visto que eu devo ter escutado centenas de horas de sua voz, enquanto trabalhava no Zen Pencils. Esta citação é retirada do seu mais recente livro de memórias, A tentativa normal .

COMICS RELACIONADOS: Bill Hicks É apenas um passeio , Louis CK Nós não pensamos sobre como falamos , George Carlin sobre assassinato (explícito) , Henry Rollins Quem é o homem mais louco? .

- Desde a minha última quadrinhos sobre mídias sociais , eu acho que é justo dizer que eu ainda sou totalmente dependente e viciado em meu telefone. Quem acorda com o despertador do seu telefone e ainda fica na cama? Eu faço isso. Quem leva seu telefone para o banheiro? Eu. É nojento, mas eu aposto que você também faz ... não minta. Quem não pode ficar sozinho em público sem olhar para o seu telefone a cada cinco minutos? Sim, eu novamente. Enquanto eu amo mídias sociais (que, obviamente, tem ajudado o Zen Pencils enormemente e é incrível como é fácil, eu posso interagir com os leitores de todo o mundo), também devemos lembrar alguns de seus efeitos colaterais negativos, como este artigo ressalta.
- Quais são os seus podcasts favoritos? Algumas das minhas outras recomendações: Hardcore HistoryThe BugleThe Smartest Man in the WorldThe NerdistStuff You Should KnowStarTalk Radio and The BS Report.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Aquele sobre a monotonia...

Quando eu era um garotinho costumava pensar sobre como seria a vida de adulto, sabe, toda essa coisa de trabalhar, juntar pedaços coloridos e retangulares de papel, constituir família   essas coisas que todo adulto faz, ou pelo menos tenta fazer...

Enquanto menino, toda essa coisa de crescer me parecia fascinante. Não me entenda mal, eu, já naquela época, compreendia a monotonia que é crescer, mas toda a ideia de independência me parecia tão fantástica quanto poder voar.

Eu imaginava que a vida adulta implicava em responsabilidades em troca das quais se recebia o direito de controlar sua vida. Crianças as vezes são muito ingenuas...

Hoje com 19 anos de idade vejo que essa suposta liberdade existe apenas na teoria, e nenhum homem pode ser verdadeiramente livre enquanto tiver contas a pagar.

O problema nisso é que enquanto precisar comer, um homem terá dividas... É claro que pra tudo na vida existem exceções, existem pessoas com dinheiro o bastante pra não precisar trabalhar um só dia em sua vida... Essas são vitimas de outro tipo de escravidão... Essas são escravas da ganância, ou do consumismo.

Vivem acostumadas ao luxo e apegadas as coisas que o dinheiro compra, essa falsa ideia de liberdade.

Sabe, a maior ironia do mundo é pensar que ninguém é livre. Os que não tem dinheiro, são escravos dele e os que o tem, são escravos das coisas que ele proporciona.

E assim vivemos essa monotonia, uns buscando incessantemente algo que não tem, enquanto outros buscam freneticamente algo que já possuem.

Uns cegos pela necessidade, outros pela falsa liberdade. Todos escravos da mesma monotonia, mas por motivos diferentes.

Johnathan Alves Damasceno de Barros
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...